HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
     
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Textos sobre Bresser-Pereira





Livros

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)

Trabalhos acadêmicos

Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Apresentações / Slides
Programas / Syllabus
Documentos & Relatórios

Trabalhos na midia

Artigos de jornal
Entrevistas
Notas no Facebook
Vídeos e Áudios

Método, perfis, outros

Método científico
Cartas
Perfis de pessoas
Críticas de Cinema

Outros idiomas

Works in English
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo

Política brasileira

Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Política Externa
Burocracia pública
Empresários e administradores
Reforma da universidade
Conjuntura Política
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial do Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008

Economia brasileira

Economia brasileira até 1979
Economia brasileira 1980-2002
Economia brasileira desde 2003
Quase-estagnação desde 1980
Populismo econômico
Desindustrialização
Crise fiscal do Estado
Planos de estabilização
Plano Bresser

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)
Projeto Brasil Nação - Notícias e Comentários

Ações / Ministérios

Ministério da Fazenda
Plano Bresser
MCT Ministério da Ciência & Tecnologia
Fundação Getulio Vargas, São Paulo

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
Cadernos MARE
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

2018 - Book on the phases of capitalist development and the distribution of income using Marx's model of the falling tendency of the rate of profit. First edition, 1986; second edition, e-book only, Kindle format. Atualized in the apendix with the paper, "Growth and distribution: a revised classical model".

2018. Paper presented in the Shanghai Forum.
21.4.2018 - Os órgãos de controle melhoraram, mas excesso de controles inviabiliza a reforma gerencial.
 
 
2018. Rentiers, the inheritors of the entrepreneurs, and financiers, a special type of technobureaucrats, are the fuling classes in contemporary capitalism; neoliberalism is their ideology. The financiers manage the wealth of the idle rentiers and act as organic intellectuals of this very narrow class coalition. (Paper to be published) 2018. In the past, the individualism that is associated to liberal capitalism was tempered by socialism, democracy, nationalism and republicanism. Since capitalism turned neoliberal it turned radically individualistic and unjust. (Essay to be published)

 

 
filmes cotados: 1502
 
'Marrocos' ( Josef von Sternberg (1930) Rot: Jules Furthman Peça: Benno Vigny ("Amy Jolly") c/ Marlene Dietrich, Gary Gooper, Adolphe Menjou.) Afinal, por que não ser romântico até o fim?

'To be or not to be' (Ernest Lubitsch (1942) EUA Rot: Melchior Lengyel História: Edwin Justus Mayer c/ Carole Lombard, Jack Benny, Robert Stack ) Comédia, farsa? Varsóvia durante a guerra.

'Deadpool 2' (David Leitch (2018) EUA Escr: c/ Rhett Reese, Paul Wernick e Ryan Reynolds c/ Ryan Reynolds, Josh Brolin, Morena Baccarin ) Uma brincadeira violenta, com todos os efeitos especiais de praxe, e relativamente engraçada.

'Senses 1 & 2' (Yusuke Hamaguchi, escr (2018) Escr: Tadashi Nohar e Temoyuke Takahashi. c/ Rira Kawamura (Jun), Sachie Tanaka, Hazuki Kikuchi, Maiko Mihara. (Seguem-se Senses 3 & 4 e Senses 5.)) A vida das mulheres, seus problemas, sem dramaturgia.

'A Ilha dos Cachoros (desenho animado)es' (Wes Anderson, escr (2018) História: tb Roman Coppola, Jason Schwartzman e Kunichi Nomura) Nada pior do que tentar escrever e filmal uma coisa inteligente.

 
     
Why multilateral development banks should provide finance in domestic currencies: a growth and financial stability proposal
2018. Paper presented in the Shanghai Forum.

Rentier-financier capitalism
2018. Rentiers, the inheritors of the entrepreneurs, and financiers, a special type of technobureaucrats, are the fuling classes in contemporary capitalism; neoliberalism is their ideology. The financiers manage the wealth of the idle rentiers and act as organic intellectuals of this very narrow class coalition. (Paper to be published)

Neutralizing the Dutch disease
2018. A retention or tax on the export of commodities will neutralize the Dutch disease and assure to the manufacturing industry equal conditions in the competion with other countries. The tax will not represent a buden to the exporters, because they receive back their money on the form of depreciation of the real. (Paper to be published)

Growth and distribution: a revised classical model
2018. The phases of capitalist development having as criteria the variables of Marx's model of the falling tendency of the rate of profit. It actualizes the book Lucro, Acumulação e Crise (1986). (Paper in the Brazilian Journal of Political Economy)

Economic nationalism and developmentalism
2018. An encompassing paper on economic nationalism, its relation to developmentalism, and why it is a condition of growth in a world where nation-states rather compete than cooperate. (published paper)

A guide to my work
2017. A guide to the ones who may be interested in a general vision of the work of Bresser-Pereira.

 
Debate Bresser-Pereira - Marcos Lisboa
2018. Artigo original de Marcos Lisboa na Folha de S. Paulo sobre a taxa de câmbio, a crítica de Bresser-Pereira, e a resposta de Marcos Lisboa - os três artigos publicados na Folha. Deixo ao leitor o julgamento.

O orgulho e a alegria de servir de Paulo Singer
2018. Paulo Singer não era um homem ambicioso, não buscava o poder, o prestígio ou o dinheiro. Buscava valores, a verdade e a justiça.

Em vez de acordo, elevar tarifas
2018. Empresários do Mercosul deveriam fazer oposição ao acordo que seus governos estão prestes a assinar com a União Europeia (Folha de s.Paulo).

A quem interessa juros altos e moeda apreciada?
2017. Liberal economists don't discuss the exchange rate, because its devaluation hurts rentiers and financiers that they represent. (Valor).

Who benefits from high interest rates and an appreciated currency?
2017. The great majority of liberal economists mean no harm by promoting fiscal adjustment alone.

Mal-estar e vergonha
2017. Um mal-estar tomou conta da sociedade brasileira. As causas imediatas são a recessão econômica, a ilegitimidade do presidente da República, a desmoralização dos políticos, a corrupção generalizada, a violência contra os direitos civis praticada por um juiz e promotores de Curitiba, e a radicalização política da classe média tradicional, ressentida por avanços políticos e sociais como a regulamentação do trabalho doméstico e a política de cotas nas universidades. (Folha)

 
Debate Bresser-Pereira - Marcos Lisboa
2018. Artigo original de Marcos Lisboa na Folha de S. Paulo sobre a taxa de câmbio, a crítica de Bresser-Pereira, e a resposta de Marcos Lisboa - os três artigos publicados na Folha. Deixo ao leitor o julgamento.

Interesse, neoliberalismo e cinismo
2018. In the past, the individualism that is associated to liberal capitalism was tempered by socialism, democracy, nationalism and republicanism. Since capitalism turned neoliberal it turned radically individualistic and unjust. (Essay to be published)

Instituições não se exportam
2018. Resenha de Instituições, mudança institucional e desempenho econômico, de Douglass North.

Afinal, a estagnação secular do capitalismo?
2018. Survey of the recent debate on the secular stagnation of capitalism, in special, Robert J. Gordon, The Rise and Fall of American Growth. Princeton: Princeton University Press, 2016.

Nada contra as empresas multinacionais
2018.

Liberalismo incompatível com o desenvolvimento
2.1.2018 - Reasons why economic liberalism is unable to promote growth and catching up in developing countries. (Note in the Facebook)

 
Programa de Ciro Gomes
28.4.2018

Algo está profundamente errado
23.4.2018

Regular os reguladores
21.4.2018 - Os órgãos de controle melhoraram, mas excesso de controles inviabiliza a reforma gerencial.

A Justiça ou a Lei
3.4.2018

Um critério universal para votar
11.3.2018- A crítica ao cinismo na política deve ser nosso critério universal para votar. Satisfeito esse critério negativo, os três critérios principais para mim são um projeto macroeconômico de desenvolvimento, a força pessoal para alcançá-lo e o compromisso com a dimuição das desigualdades. (Blog do Facebook)

Liberalismo incompatível com o desenvolvimento
2.1.2018 - Reasons why economic liberalism is unable to promote growth and catching up in developing countries. (Note in the Facebook)

     
O liberalismo econômico não resolverá o problema do Brasil
2018. Luiz Carlos Bresser-Pereira explica em detalhes sua teoria do novo desenvolvimentismo econômico e a defende como caminho para a retomada do crescimento do Brasil.

RFI convida Luiz Carlos Bresser Pereira
Entrevista para a Radio França Internacional.

Bresser explica o Projeto Brasil Nação
2017. Entrevista que a jornalista Maressah Sampaio realizou com o ex-Ministro da Fazenda Luiz Carlos Bresser Pereira, que esteve em Porto Alegre para lançar o manifesto Projeto Brasil Nação.

Projeto Brasil Nação
Chamada para o lançamento do Projeto Brasil Nação neste dia 27 de abril de 2017, às 18horas, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

Uma teoria - o Novo Desenvolvimentismo - para compreender a crise da economia brasileira
Conferência apresentada no encontro Quintal Amendola (2017)

 
Rentier-financier capitalism
2018. Rentiers, the inheritors of the entrepreneurs, and financiers, a special type of technobureaucrats, are the fuling classes in contemporary capitalism; neoliberalism is their ideology. The financiers manage the wealth of the idle rentiers and act as organic intellectuals of this very narrow class coalition. (Paper to be published)

Neutralizing the Dutch disease
2018. A retention or tax on the export of commodities will neutralize the Dutch disease and assure to the manufacturing industry equal conditions in the competion with other countries. The tax will not represent a buden to the exporters, because they receive back their money on the form of depreciation of the real. (Paper to be published)

Growth and distribution: a revised classical model
2018. The phases of capitalist development having as criteria the variables of Marx's model of the falling tendency of the rate of profit. It actualizes the book Lucro, Acumulação e Crise (1986). (Paper in the Brazilian Journal of Political Economy)

Economic nationalism and developmentalism
2018. An encompassing paper on economic nationalism, its relation to developmentalism, and why it is a condition of growth in a world where nation-states rather compete than cooperate. (published paper)

 
Teoria do Estado e Desenvolvimento
1o.semestre 2018. Com José Marcio Rego. O objetivo do curso é o desenvolvimento econômico e sua relação com o Estado moderno.

Macroeconomia do Desenvolvimento
2017, 2o. semestre. Com Nelson Marconi e Marcio Holland.

Teoria do Estado Moderno
2017 - 2o. semestre, com Claudio Couto. O curso oferece aos alunos uma visão resumida da formação dos estados-nação e da teoria do Estado moderno.

Teoria do Estado e Desenvolvimento
1o. semestre 2017. Com José Marcio Rego. O objetivo desse curso é o desenvolvimento econômico e sua relação com o Estado moderno.

Teoria do Estado Moderno
2016, com Claudio Couto. Curso que visa oferecer aos alunos uma visão resumida da formação dos estados-nação e da teoria do Estado moderno

Macroeconomia do Desenvolvimento
Com Nelson Marconi e Marcio Holland. (2o. semestre de 2016).

 
Interesse, neoliberalismo e cinismo
2018. Apresentação no seminário "Conservadorismo, novas direitas e grupos insurgentes". (slide presentation)

Aulas de Macroeconomia Desenvolvimentista
Apresentação das aulas do Curso de Graduação em Economia, 2o. semestre de 2017.

How to neutralize the Dutch disease notwithstanding the natural resources curse
2017. Presentation to Likhachov Scientific Conference in St.Petersburg, Russia.

La crise politique du néo-libéralisme dans les pays avances et la régression néo-libérale au Brésil
2016. La globalisation, le capitalisme des rentiers et de financiers, et l'idéologie néolibérale ont été dominantes entre 1979 et 2008. Ces ont été les Années Néolibéraux du Capitalisme. Mais ce temps là est fini.

New developmentalism and developmental macroeconomics
2016. The is my best presentation summarizing new developmentalism and its developmental macroeconomics. (Slides in the 1st International Worskhop on New Developmentalism)

 

A Construção Política do Brasil

2014. An encompassing analysis of Brazil's society, economy and politics since the Independence. A national-dependent interpretation. Three historical cycles of the relation state-society: State and Territorial Integration Cycle (1822-1929), Nation and Development Cycle (1930-1977) and Democracy and Social Justice Cycle (1977-2010). Crisis since then. (Book: Editora 34, updated 3rd edition, 2017)


Developmental Macroeconomics

2014. With Nelson Marconi and José Luís Oreiro. Developmental Macroeconomics is a book on development macroeconomics associated with New Developmentalism. In its core are the exchange rate and the current account, instead of the budget deficit and the interest rate. (Book: Routledge)


Globalization and Competition

2010. Why some middle income countries catch up while others do not. Behind new developmentalism this book drafts a structuralist development macroeconomics in which the exchange rate plays a strategic role. (Book: Cambridge University Press).


Globalização e Competição

2009. Why some middle income countries catch up while others do not. Behind new developmentalism this book drafts a structuralist development macroeconomics in which the exchange rate plays a strategic role. (Book: Elsevier).


Globalización y Competencia

2010. Why some middle income countries catch up while others do not. Behind new developmentalism this book drafts a structuralist development macroeconomics in which the exchange rate plays a strategic role. (Book: Siglo XXI).


Mondialisation et compétition

2009. Why some middle income countries catch up while others do not. Behind new developmentalism this book drafts a structuralist development macroeconomics in which the exchange rate plays a strategic role. (Book: Éditions La Découverte)


Construindo o Estado Republicano

2009. Este livro discute, do ponto de vista histórico, a construção de um "Estado republicano", ou seja, um Estado forte e capaz, dotado de legitimidade democrática e de eficiência administrativa, e apto a se defender contra indivíduos e grupos poderosos que buscam capturá-lo ou privatizá-lo. Em inglês "Democracy and Public Management Reform". (Book: Editora FGV)


Developing Brazil - Overcoming the Failure of the Washington Consensus

2009. An encompassing analysis of the Brazilian macroeconomic system; a first presentation of the developmental macroeconomics. Why Brazil failed to grow fast after the Real Plan. English version available. The high interest-overvalued currency trap. (This book is an atualized version of Macroeconomia da Estagnação)


Macroeconomia da Estagnação: crítica da ortodoxia convencional no Brasil pós-1994

2007. An encompassing analysis of the Brazilian macroeconomic system; a first presentation of the developmental macroeconomics. Why Brazil failed to grow fast after the Real Plan. English version available. (Book: Editora 34) Developing Brazil is an atualized version of this book


Desenvolvimento e Crise no Brasil (5a. edição)

2003. The patterns of economic development and the political pacts in Brazil from Vargas (1930) to Lula (2003). 5th revised edition almost doubling the size of the book. English version available. (Book: Editora 34)


Economic Reforms in New Democracies

1993. With Adam Przeworski and José María Maravall. A social democratic approach and also a crisis of the state approach to economic reforms in new democracies. Portuguese and Spanish versions available. (Book: Cambridge University Press).


As Revoluções Utópicas dos Anos 60

1972/2006. Two essays on the 1960s' utopic revolutions: the 1968 student revolution, and the poltical revolution of the Catholic Church. Introduction to the third edition on "The counter-revolution of our time". (Book: Editora 34 3rd. edition of 1972 book)

 

Eleição presidencial direta e irrestrita em 2018!

Nós, que, em abril deste ano, assinamos o manifesto do Projeto Brasil Nação, voltamos aos brasileiros para defender a manutenção de eleição presidencial direta e irrestrita.
A democracia brasileira está em perigo. Para completar o golpe parlamentar, os atuais detentores do poder discutem a ideia de costurar um remendo parlamentarista ou adiar a eleição presidencial de 2018. Há tentativas de impedir a plena representação das camadas populares. Tudo isso é inaceitável.

A eleição presidencial direta representa o momento alto da nossa vida política brasileira. Ao longo das lutas republicanas, as eleições presidenciais, fortalecidas pelos dois turnos que garantem a maioria absoluta ao presidente eleito, se transformaram no momento político da afirmação na identidade nacional.

Na diversidade de suas regiões, de seus sotaques, de suas crenças, os eleitores arbitram o debate democrático sobre os destinos do país. No século 19, o Brasil foi o único agregado colonial da América que não se fragmentou na Independência. Na segunda metade do século 20, o Brasil se urbanizou, se expandiu para o Centro-Oeste e para o Norte. Desenvolveu sua indústria, criou a Petrobras e o BNDES, investiu em ciência e tecnologia. Padeceu a opressão ditatorial e reconquistou a liberdade.

Ampliada e consolidada na Constituição de 1988, a democracia republicana transformou a carcaça autoritária e oligárquica herdada do Império num vibrante Estado-nação. Nesse processo, a eleição presidencial permitiu que a maioria social se transformasse em maioria política.
Na contramão dessa conquista, o atual governo impõe uma política radicalmente oposta à decisão soberanamente expressa pelos eleitores no escrutínio de 2014. A eleição presidencial de 2018 é a condição essencial para que o governo recupere legitimidade e possa liderar um projeto de desenvolvimento nacional.

A diversidade e a liberdade de nosso país, a esperança dos que participaram da transformação da maioria social em maioria política, formam uma poderosa barreira contra o autoritarismo. Mas, no curto prazo, a perplexidade dos brasileiros diante da ambição de políticos sem voto, do sentimento de impunidade e de um programa antipopular e antinacional proposto pela grande finança e seus aliados favorece as manobras contra a democracia, contra a eleição presidencial direta, contra o sufrágio verdadeiramente integrador da nacionalidade.

Eleição presidencial direta e irrestrita em 2018!

 

Participe, assine aqui Lista de subscritores

Total de subscritores até agora: 593



 


“A missão do Projeto Brasil Nação é pensar o Brasil, é ajudar a refundar a nação brasileira, é unir os brasileiros em torno das ideias de nação edesenvolvimento – não apenas do ponto de vista econômico, mas de forma integral: desenvolvimento político, social, cultural, ambiental; em síntese, desenvolvimento humano. Os cinco pontos econômicos do Projeto Brasil são seus instrumentos – não os únicos instrumentos, mas aqueles que mostram que há uma alternativa viável e responsável para o Brasil.”

2017. Manifesto que um grupo de brasileiros preocupados com a crescente divisão da sociedade brasileira escreveram entre janeiro e abril deste ano. Este manifesto foi originalmente subscrito pelas personalidades cujos nomes aparecem abaixo do manifesto, e está aberto para subscrição pública. Manifesto lançado no último dia 27 de abril por um grupo de brasileiros preocupados com a crescente divisão da sociedade brasileira.
Esclarecemos que o Projeto Brasil Nação é totalmente isento de
ônus ou pagamento de qualquer natureza.

O manifesto Susbcritores Assine o manifesto Notícias e comentários
 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br