The Political Construction of Brazil

2017. An encompassing analysis of Brazil’s society, economy and politics since the Independence. A national-dependent interpretation. Three historical cycles of the relation state-society: State and Territorial Integration Cycle (1822-1929), Nation and Development Cycle (1930-1977) and Democracy and Social Justice Cycle (1977-2010). Crisis since then. (Book: Lynne Rienner Publishers)

Mais informações

Macroeconomia Desenvolvimentista

2016. With José Luis Oreiro e Nelson Marconi. Our more complete analysis of Developmental Macroeconomics – the central economic theory within New Developmentalism. (book)

Mais informações

Pequenos textos, prefácios, etc.


2018 2017 2016 2015 2014 2013 2012 2011 2010 2009 2008 2007 2006 2005 2004 2003 2002 2001 2000 1998-1999 1996-1997 1994-1995 1992-1993 1990-1991 1988-1989 1984-1987 1981-1983 1971-1980 1962-1970

Documentos 1 a 60 de 314



Keynes, Cardim e seus amigos pós-keynesianos

2018. Prefácio ao livro em homenagem a Fernando Cardim de Carvalho.



Contribuições à teoria econômica

2018. My possible contributions to economics and the respective books or papers. (Guide to my work)



Debate Bresser-Pereira - Marcos Lisboa

2018. Artigo original de Marcos Lisboa na Folha de S. Paulo sobre a taxa de câmbio, a crítica de Bresser-Pereira, e a resposta de Marcos Lisboa - os três artigos publicados na Folha. Deixo ao leitor o julgamento.



Interesse, neoliberalismo e cinismo

2018. In the past, the individualism that is associated to liberal capitalism was tempered by socialism, democracy, nationalism and republicanism. Since capitalism turned neoliberal it turned radically individualistic and unjust. (Essay to be published)



Instituições não se exportam

2018. Resenha de Instituições, mudança institucional e desempenho econômico, de Douglass North.



Afinal, a estagnação secular do capitalismo?

2018. Survey of the recent debate on the secular stagnation of capitalism, in special, Robert J. Gordon, The Rise and Fall of American Growth. Princeton: Princeton University Press, 2016.





Liberalismo incompatível com o desenvolvimento

2.1.2018 - Reasons why economic liberalism is unable to promote growth and catching up in developing countries. (Note in the Facebook)



Depois do ódio

27.12.2017. Why since 2013 we saw political hate in Brazil? I believe that the structural explanation for that. The white Brazilian elites always despised the negro or mestiça lower classes. Suddenly a politician originated from the excluded class, Lula, identified himself self with it, while his political party got involved in corruption. This was sufficient to the insecure middle-class developed hate - a sentment that is incompatible with democracy. (Note in the Facebook)



New developmentalism: Macroeconomics and political economy for developing countries

2017. A short (4.000 words) summary of new developmentalism - a new theoretical framework for allow middle-income countries to grow again. (DOC Research Institute website) (Available in Portuguese)



Who benefits from high interest rates and an appreciated currency?

2017. The great majority of liberal economists mean no harm by promoting fiscal adjustment alone.



A quem interessa juros altos e moeda apreciada?

2017. Liberal economists don't discuss the exchange rate, because its devaluation hurts rentiers and financiers that they represent. (Valor).



Novo desenvolvimentismo é resposta para a crise

2017. A short (4.000 words) summary of new developmentalism - a new theoretical framework to allow middle-income countries to grow again. Ilustríssima, Folha) (Available in English)



Sobre democracia e moeda

2017. Piketty on how to democratize the Eurozone. (Review)



Call for the 7th Laporde

Call for the 7th Laporde - a one week full time course (January 8-12) given by some outstanding development economists at EESP/FGV São Paulo.





Qual oposição?

26.7.2017. In this note, the author summarizes his critiques to the Brazilian government, which was born from a political coup, and the economic elites that support it. But he is also critical of a radical discourse on the part of the left, which is incompatible with the nation and the democracy.



Arthur Piza

Discours à la crémation de Arthur Piza. Paris, le 2 Juin 2017.



Um intelectual completo

2017. Prefácio para o livro organizado por Ivan Salomão por ocasião da aposentadoria de Pedro Cezar Dutra Fonseca na UFRGS.



A cópia do ultrapassado

Os países ricos não adotaram políticas neoliberais, que o atual governo brasileiro imita, para se tornarem ricos. Eles adotaram o desenvolvimentismo quando fizeram sua revolução industrial. (Article: Revista Brasileiros)



Atropelar? Por que não? É a nova regra do jogo.

22.12.2016 - The new mayor of São Paulo is increasing the speed limits in the avenues. But to run over the people is more than a trafic rule; is the new and liberal rule of the game in Brazil.



O pacto que não houve

Este capítulo 22 da 3a. edição de A Construção Política do Brasil está sendo disponibilizado para que, aqueles que tem a 1a ou 2a. edição, possam ver as principais modificações introduzidas.



Prefacio a Estado e Sociedade no Brasil

2016. Prefacio do livro sobre a obra de Renato Boschi e Eli Diniz.



Medo e arrogância na vida pública

1999. A política é a arte do bem comum, é a arte da persuasão, é a arte da liderança, e é a arte do compromisso. Em qualquer hipótese, é a arte de tomar decisões em situação de incerteza, tendo em vista a conservação do poder e a realização do bem comum.



A intolerância só nos prejudica

2016. Políticos opositores as reformas sociais criaram um clima de intolerância na política com propósitos egoístas de derrubar um governo democrático com a ajuda de uma parcela da sociedade alheia aos problemas políticos do país e suscetíveis ao discurso do ódio contra grupos sociais historicamente marginalizados.



Prefácio a Desenvolvimento numa Perspectiva Keynesiana

2016. Oreiro writes an excellent summary-analysis of the development macroeconomics models before the New Developmental model to which he is one of the main contributors. (Preface)



Onde foi que erramos? Quando e por que a economia saiu da rota

2016. In the recent past liberals (1990-2002) as well as developmentalists (2003-2014) failed in overcoming the quasi-stagnation that defines the Brazilian economy since 1980. New developmentalism offers a short and a long-term alternative. (Large essay in Folha de S.Paulo)



Aldo Ferrer

8.3.2016



Por que o sistema financeiro tornou-se tão poderoso?

2016. A key source of the power of the financial sector in all countries is the importance that macroeconomic policy assumed in the last 50 years, and the fact that this sector hires at least 80% of the macroeconomists. (Article, Jornal dos Economistas)



Teses para uma teoria histórica do Estado e do estado-nação

2016. 34 thesis on the theory of the state as the fundamental institution (the law and the organization that guarantees it) of the nation-state - the form of sovereign society specific to capitalism, as the classical empire was the form of society proper of the slave societies. (Notes for students)



Reconstruir a esperança

2015. Speech receiving the Juca Pato trophee and the tittle of "intelectual of the year 2014" from the Brazilian Union of Writers.



Reconstruir la esperanza

2015. Discurso al recibir el premio Juca Pato como Intelectual del Año 2014, de la União Brasileira de Escritores. São Paulo, 9 de noviembre de 2015.



Seis propostas para reindustrialização

2015. Documento no.1 do Grupo Reindustrialização. Propomos seis medidas de política econômica para reindustrializar o Brasil e este voltar a crescer e realizar o alcançamento.



A interdisciplinaridade como forma de ver o mundo

2015. Interdisciplinarity is for me the natural way of thinking. (small essay, Conversas Interdisciplinares, ANPOCS)



Reindustrialização como projeto nacional

2015. In order to re-industrialize Brazil requires a competitive exchange rate, a low level interest rate, and fiscal responsibility. In addition, industrial policy. (small article, Le Monde Diplomatique - Brasil)



A construção do Brasil sob uma nova ótica

2015. Analisar a constrtução política do sistema econômico, da nação e do Estado brasileiro, desde a independência (pesquisa).



Vícios e virtudes

2015. A summary of A Construção Política do Brazil. The three state-society cycles in the history of Brazil since Independence. The recent class coalitions or political pacts. (Article: O Estado de S.Paulo, Aliás )



Ajuste para poder governar

2015. No início de 2015 o Brasil viu-se diante de três problemas que se somavam de forma interdependente: a recessão, a crise fiscal e a grave crise política. (Nueva Sociedad)



O fracasso de dois populismos - o liberal e o desenvolvimentista - desde o Plano Real

2015. Desde o Plano Real o brasil está metido em uma armadilha de juros altos e câmbio apreciado no longo prazo, da qual não consegue escapar devido ao populismo econômico, tanto de desenvolvimentistas quando de liberais. E por isso sua economia está desde então semiestagnada. A essa crise de longo prazo comou-se, no início de 2015, uma crise econômica e política de curto prazo.



O mal-estar entre nós

2014. A sociedade brasileira está dividida politicamente entre ricos e pobres. Falta à nação um projeto -- sobra o ódio, que eu nunca havia visto antes, e grande mal-estar. (Revista Interesse Nacional)



Discurso pela reeleição de Dilma Rousseff

2014. Discurso no ato público a favor da reeleição de Dilma.



Economistas com Dilma:

2014. Manifesto assinado por Bresser-Pereira.



As duas lógicas do Império

The two logics of the West: "national security" and occupation of the domestic markets of developing countries. A survey of L.A. Moniz Bandeira's book. A segunda guerra fria. (Estudos Avançados)



Por que o Brasil cresce pouco desde 1990-91

2014. (Revista Margem Esquerda)



Reflexões de um reformador contemporâneo do Estado brasileiro

2014-A detailed account of my experience in initiating the 1995 Managerial Reform of the State, and a short analysis of the present stage of the reform. (Entrevista a Leonardo Queiroz Leite)



O imperialismo disfarçado que Luiz Eça desvenda

2014. Prefácio de A Desilusão Americana, de Luiz Eça.





Uma alternativa para o capitalismo?

2014. Resenha do livro de Fabio Konder Comparato, A Civilização Capitalista.



Nacionalismo e novo desenvolvimentismo

2013. To develop the latecomer countries had to be nationalist and developmental because they faced the imperialism of the first countries that industrialized and became powerful. (Introduction to O Que Esperar do Brasil?)



Crítica desenvolvimentista e réplica liberal

Ferreira & Fragelli - Bresser - Ferreira & Fragelli (2014). Leia também Câmbio e crescimento, as evidências em ordem, de José Luis Oreiro, Flavio Basilio e Gustavo Souza.



Comparando a teoria estruturalista do desenvolvimento com a teoria novo-desenvolvimentista

1914. Comparing in one table the structuralist economic theory (or old developmentalism) with new-developmental structuralism - the micro as well as the macroeconomic aspects.



Démocratie, révolution capitaliste et Printemps Arabe

2013. Le chemin vers la démocratie passe par la révolution nationale et industrielle de chaque pays. Portuguese version available



Democracia, revolução capitalista e Primavera Árabe

2013. O caminho para a democracia passa pela revolução nacional e industrial de cada país (Política Externa). French version available



À busca de sentido

2013. Em "O Capital e Suas Metamorfoses", Belluzzo expõe as inúmeras faces do capitalismo. (Resenha: Carta Capital).





Prefácio de A Desindustrialização Brasileira

2013. Prefácio do livro organizado por André Felipe Zago de Azevedo, Carmem Feijó e Daniel Arruda Coronel.



Prefácio a O Desafio da Vontade

2013. Prefácio ao livro de Roberto Lavagna.



A banalidade do mal (Folha, 29.7.13)

2013. O mal banal está entre nós. Está no terrorismo islâmico, na guerra do Iraque, na intenvenção na Síria. (Articles: Folha de S.Paulo)



The banality of evil (Folha, 29.7.13)

2013. Evil's banality is among us. Is in Islamic terrorism, in the Iraq war, in the intervention in Syria.(Articles: Folha de S.Paulo)



Manifesto - Carta aberta sobre Angra III

2013. Assinei a carta-manifesto abaixo sobre a construção da Usina Nuclear, conhecida como Angra III.




Fale conosco: ceciliaheise46@gmail.com