PUBLICIDADE  
 
 
 
HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
 
  Tipos de trabalhos  
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Sobre Bresser-Pereira

Tipos de Trabalhos

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)
Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Artigos de jornal & Entrevistas
Principais Entrevistas
Notas no Facebook
Cartas
Críticas de Cinema
Documentos & Relatórios
Programas / Syllabus
Apresentações / Slides
Vídeos e Áudios





Outros idiomas

Works in English
Weekly Columns
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Método

Método científico

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo
Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes - Br
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Perfis individuais
Política Externa - Br
Burocracia pública - Br
Empresários e administradores - Br
Reforma da universidade
Conjuntura Política - Br
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008
Desenvolvimento econômico - Br
Macroeconomia do Brasil
Populismo econômico - Br
Desindustrialização - Br
Crise fiscal do Estado - Br
Planos de estabilização - Br
Plano Bresser
Quase-estagnação desde 1980 - Br
Conjuntura Econômica - Br

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)
Notícias e Comentários

Ações / Ministérios

Ministério da Fazenda
Plano Bresser
MCT Ministério da Ciência & Tecnologia
Fundação Getulio Vargas, São Paulo

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
Cadernos MARE
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

Bons artigos que li recentemente


  Documentos 1 a 60 de 2433
Gargalos para a expansão do investimento em infraestrutura
Manoel Pires (2017) O déficit de infraestrutura reduz a produtividade da economia, gera ineficiências e reduz o retorno do investimento privado. Tudo isso gera menor crescimento econômico e menos emprego e renda para o país.
Eles estão de volta: intelectuais e artistas assinam manifesto contra
Iniciativa, liderada por Bresser Pereira e que conta com as assinaturas de Celso Amorim, Chico Buarque de Hollanda, Fábio Konder, Wagner Moura e outros propõe medidas para o Brasil
A economia não deve parar
Carlos Luque, Simão Silber e Roberto Zagha (2017) Instrumentos poderosos para estabilizar a economia no curto prazo foram adotadas como políticas permanentes.
Fim da TJLP é salto no escuro
Ernani Torres Filho (2017) O problema da escolha da variação da NTN-B está no seu spread demasiadamente elevado e volátil.
Finanças chinesas reservam problemas
Martin Wolf (2017) O governo chinês está em uma sinuca: ou detém a expansão do crédito, deixa o investimento encolher e gera recessão interna, enorme superávit comercial (ou ambos); ou mantém a expansão do crédito e do investimento, mas enrijece os controles das saídas de capital.
Escassez de água, desafio à sustentabilidade
José Graziano (2017) Na década de 80 houve uma média de dez secas no mundo com prejuízos desastrosos. Nos últimos anos, elas duplicaram. Garantir o acesso à água é vital, especialmente a agricultores pobres, que são a maior fatia das 800 milhões de pessoas enredadas na rotina da fome em todo o mundo.
IDH sem renda
Flavio Comim (2017) Sem provisão de bens públicos essenciais, como saúde e educação, não há mágica que faça o país subir no ranking do IDH.
Mudar a Previdência beneficia os pobres
Mansueto Almeida e Marcos Mendes (2017) Economistas do governo Temer afirmam que a reforma da Previdência é imprescindível dada a demografia do país. Para eles, a proposta em tramitação no Congresso corrige distorções que, hoje, favorecem os mais ricos. Além disso, rebatem os argumentos esgrimidos com mais frequência por quem critica as mudanças.
O cineasta Mel Gibson e a busca pelas raízes da violência
Martim Vasques da Cunha (2017) Escritor defende a inclusão do diretor e ator Mel Gibson no rol dos autores de cinema. Sustenta que, a exemplo de Alfred Hitchcock e Howard Hawks, ele contrabandeia reflexões profundas sobre um tema que lhe é caro (no caso, a raiz da violência) para filmes que, na superfície, assemelham-se a entretenimento pueril.
Robotização sem taxação?
Robert Shiller (2017) Os impostos têm de ser reestruturados de modo a corrigir a desigualdade de renda induzida pela robotização.
Polarização e crise favorecem acordão contra Lava-Jato
Celso de Barros (2017) É provável que, na próxima eleição, haja simplesmente um rebaixamento de expectativas e não a procura pela novidade. O cidadão, diante da sensação generalizada de que todos os políticos são ladrões, pode votar naquele em que, ao menos, tem um programa com o qual concorde.
O inimigo imaginário de Trump
Zhang Jun (2017) A China tem buscado uma liberalização financeira cautelosa de acordo com suas próprias necessidades e com sua própria lógica. Seja lá o que o presidente americano, Donald Trump disser, isso não fará da China uma inimiga dos Estados Unidos.
Cambio: temos um problems
Antonio Delfim Netto (2017) Bretton Woods morreu, mas o dólar manteve status global.
Caiu a ficha
Antonio Delfim Netto (2017) Após 30 anos, sistema financeiro voltou ao local do crime.
Trump em Pequim
Alessandro Octaviani (2017) A semelhança entre os Estados Unidos e a China nos meios de defesa de seus projetos nacionais de desenvolvimento é notável: estruturas voltadas para controlar os principais preços de suas economias, gerar tecnologias e atrair renda para seus Estados.
O supremo e o ativismo judicial
José Eduardo Faria (2017) A questão é quem será capaz de julgar levando em conta o direito e as mudanças da sociedade.
A China e a socialização do investimento
Elias K.Jabour e Luiz Fernando de Paula (2017)
A arquitetura do desenvolvimento
Paulo Gala (2017) entrevistado por Diego Viana.
Os três Trumps
Jeffrey Sachs (2017) Um crescente corpo de evidências sugere que Trump vem recebendo apoio de dinheiro russo há décadas. Oligarcas russos podem ter salvo Trump de falência pessoal, e um deles teria supostamente viajado atuando como intermediário com o Kremlin.
Lara e o dogma
Fernando Limongi (2017) O debate sobre juros parece não ter fim.
Palestinos sem justiça
Luiz Eça (2017) Bibi Netanyah se declarou preocupado com o impacto potencial do julgamento sobre seus soldados que, ao enfrentarem situações violentas, poderiam hesitar em atirar de medo de uma investigação pública.
Na próxima vez, o fogo financeiro
Simon Johnson (2017) Os grandes bancos ficarão maiores. Os níveis de exigências de capital próprio cairão. E práticas razoáveis de gestão de risco vão sair de moda. Pessoas poderosas inflam e implodem bolhas. Nós podemos esperar mais desigualdade e pobreza induzida por crises.
O mandato capim-limão de João Doria
Maria Cristina Fernandes (2017)
A âncora de Temer veste toga
Maria Cristina Fernandes (2017) Foro privilegiado mantém presidente como fiador.
Sobre a eficácia da política monetária
Luciano Coutinho (2017) É necessário reorganizar as bases da dívida pública, afastando-a do curtoprazismo e da indexação.
Política de emergência contra a recessão
2017. Documento no.2 do Grupo Reindustrialização.
Velocidade com que consumimos informação começa a ficar lenta
Ronaldo Lemos (2017) Vivemos num mundo tão acelerado (e ansioso) que a velocidade usual com que consumimos informação começa a ficar lenta demais.
A audácia fez de 1917 um evento na história da humanidade
Mario Sergio Conti (2017)
Objetivo dos EUA é anular a soberania dos Estados nacionais
Pedro Marin (2016) Desde a queda do Muro de Berlim (1989) e a dissolução da União Soviética (1991) os neoconservadores (neocons)do Partido Republicano e outros pretenderam que os Estados Unidos assumissem, abertamente, a condição do Império com a implantação da full-spectrum dominance, i.é., o total domínio do espectro terestre, marítimo,aéreo e espacial.
Cidadania global, indiferença nacional
Dani Rodrik (2017) Os cidadãos do mundo devem tomar cuidado para que suas metas grandiosas não se transformem em desculpa para se esquivarem a seus deveres para com seus compatriotas. Temos de viver no mundo que temos, com todas as suas divisões políticas.
O ignorante não sabe que o é
Contardo Calligaris (2017) Todos podemos ter ideias erradas, mas só os grandes incompetentes se avaliam como extremamente competentes.
Why so many artists do their most interesting work in their final years
The Economist (2017) When time is precious, composers and playwrights outdo themselves.
A receita para destruir um país
Vladimir Safatle (2017) Há três formas de destruir um país. As duas primeiras são por meio da guerra e de catástrofes naturais. A terceira, a mais segura e certa de todas, é entregando seu país para economistas liberais amigos de operadores do sistema financeiro.
O mundo sempre foi protecionista
Axel Kicillof (2017) Empresários podem lucrar, mas em contrapartida devem investir. (Entrevista a Marsílea Gombata)
A new paper finds China more unequal than France but less so than America
The Economist (2017) Why Chinese citizens seem more tolerant of rising inequality than Westerners.
O porquê dos juros altos
Luciano Coutinho (2017) 14 anos de Selic real muito alta enraizou no sistema financeiro uma "dependência viciosa" de juros altos.
Are public enterprises necessarily inefficient? Privatization the problem, rarely the solution
Jomo Kwame Sundaram (2016) These two articles take issue with unqualified advocacy of privatization of public enterprises. The first article points to adverse effects of privatization, while the article which follows contends that state-owned enterprises can be run efficiently.
A psique de coxinhas e petralhas
José Eli da Veiga (2017) Para além da polarização na arena da política, a inclinação de indivíduos a posições à esquerda ou à direita existe em qualquer grupo social, influencia diversos momentos da vida e pode ser aferida por pesquisas psicológicas. O texto propõe que a consolidação dessa tese leve à coexistência pacífica dos dois polos.
Os invisíveis do sistema
Saskia Sassen (2017) Desde a publicação de "O Capital no Século XXI", de Thomas Piketty, o problema da desigualdade entrou no foco das preocupações com o mundo contemporâneo. Para Saskia Sassen, uma referência em sociologia urbana, porém, a desigualdade é um aspecto parcial do problema atual mais profundo: os "perdedores" do sistema econômico são verdadeiramente expulsos, tornam-se invisíveis, deixam de ser contados nas estatísticas e praticamente desaparecem. (Entrevista de Diego Viana)
Um novo olhar sobre as drogas
Johann Hari ( 2017) O contrário da dependência das drogas não é a abstinência, mas a conexão entre os seres humanos. Segundo Hari, é o isolamento e a dor que levam ao abuso de drogas. (Entrevista de Helena Celestinho)
Neofisherianismo: vai entender
Eduardo Loyo (2017)
Com a cabeça nas nuvens
Elaine Guerini (2016) "O que há de errado em subir o volume da música de orquestra quando o casal se beija pela primeira vez?", diz o diretor Damien Chazelle.
Os 'millennials' rejeitarão Trump
Jeffrey Sachs (2017) Os jovens precisam de uma política oposta à de Trump: impostos mais altos sobre a riqueza da geração mais velha para financiar a educação pós secundária, treinamento para o trabalho, infraestrutura de energia renovável e outros investimentos no futuro dos EUA.
A ruptura com a utopia do livre mercado
Erik Reinert 2017) 2016 representou uma ruptura importante com "a utopia do livre mercado", do mesmo modo como ocorreu em 1848, com as revoluções em vários países da Europa, e em 1933, com a reação à Grande Depressão. Para Reinert, o Brexit e o discurso contra o livre-comércio nos Estados Unidos de Donald Trump e Bernie Sanders marcam uma reviravolta ideológica de peso, repetindo as que aconteceram em meados do século XIX e nos anos 30. (Entrevista de Sergio Lamucci)
The end of progressive neoliberalism
Nancy Fraser (2017)
Capitalism's Crisis of Care
Nancy Fraser (2016) In her latest book Fraser contends with liberal feminism's troubling convergence with capitalism, and the ways in which feminism can provide a veneer of liberation for a system of relentless exploitation. (Interview with Sarah Leonard)
Juros e conservadorismo intelectual
André Lara Resende (2017) A teoria monetária dominante nunca conseguiu compreender e dar soluções para as altas taxas de inflação crônica.
Teoria, prática e bom senso
André Lara Resende (2017) A importância do tema para o interesse público exige que a discussão não seja feita a portas fechadas, que não fique restrita à academia.
Efeitos da China sobre a desigualdade
Naércio Menezes Filho (2017) No Brasil a desigualdade diminuiu principalmente devido aos aumentos do salário mínimo.
Equity versus Equality at a public ICU in Brazil
Flávia R. Machado (2016) Equidade versus igualdade no SUS.
A oligarquia radical de Trump
Simon Johnson (2017)O governo Trump está tomando a forma de uma coalizão entre empresários que acreditam erroneamente que o protecionismo é uma boa forma de ajudar a economia e os fundamentalistas de mercado que dominam a Câmara dos Deputados.
Porque a grande crise não aconteceu
Luiz Fernando de Paula (2017) Algum "alívio" só deverá vir com a redução dos juros diminuindo o peso de serviço da dívida.
As contradições chinesas
Adair Turner (2017) Os diretores dos bancos são primordialmente membros do partido e, em segundo lugar, presidentes e CEOs de bancos". Numa economia de mercado socialista híbrida, o crescimento não precisa ser limitado pelas preocupações sobre a sustentabilidade da dívida.
Atravessando pontes
Tata Amaral (2017) O legado de Fernando Haddad foi positivo.
O direito de matar
Vladimir Safatle (2017) Os presidiários não são santos, você também não é, nem eu e muito menos o senhor governador. Se estivéssemos em uma sociedade de santos, não haveria necessidade de justiça, nem mesmo de governo.
O fracasso vai além dos presidios
Clóvis Rossi (2017) O massacre de Manaus é apenas um pedaço de um imenso iceberg. Bem feitas as contas, a superlotação dos presídios e o domínio deles por facções criminosas são um pequeno retrato da falência do Estado brasileiro.
Temer & teles: um dos maiores golpes no patrimônio público
Vanessa Grazziotin (2017) Sorrateiramente, Michel Temer e aliados tentaram aplicar um dos maiores golpes contra o patrimônio público e o povo: mudar a Lei Geral das Telecomunicações e transferir aproximadamente R$ 100 bilhões de bens públicos a empresas privadas.
A indiferença é a origem do massacre em Manaus
Jânio de Freitas (2017) O país deveria horrorizar-se, em qualquer das dezenas de anos do seu conhecimento e da sua indiferença pelas condições -criminosas tanto nas leis brasileiras como nos acordos internacionais- a que os encarcerados são aqui submetidos.
Fica, 2016
André Singer (2016) Não adianta apagar o ano e rumar o mais rápido possível para 2017, como se fugir para a frente ajudasse em algo. Ao contrário, é preciso fixar na memória que em 2016, numa grave decisão contrária à democracia brasileira, o Congresso Nacional derrubou a presidente da República legitimamente eleita e que não cometeu crime de responsabilidade.
A festa nunca para
Vladimir Safatle (2016) Há momentos na história em que o riso está do lado do poder.
 
 
 
 
 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br