PUBLICIDADE  
 
 
 
HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
 
  Tipos de trabalhos  
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Textos sobre Bresser-Pereira





Livros

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)

Trabalhos acadêmicos

Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Apresentações / Slides
Programas / Syllabus
Documentos & Relatórios

Trabalhos na midia

Artigos de jornal
Entrevistas
Notas no Facebook
Vídeos e Áudios

Método, perfis, outros

Método científico
Cartas
Perfis de pessoas
Críticas de Cinema

Outros idiomas

Works in English
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo

Política brasileira

Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Política Externa
Burocracia pública
Empresários e administradores
Reforma da universidade
Conjuntura Política
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial do Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008

Economia brasileira

Economia brasileira até 1979
Economia brasileira 1980-2002
Economia brasileira desde 2003
Quase-estagnação desde 1980
Populismo econômico
Desindustrialização
Crise fiscal do Estado
Planos de estabilização
Plano Bresser

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)
Projeto Brasil Nação - Notícias e Comentários

Ações / Ministérios

Ministério da Fazenda
Plano Bresser
MCT Ministério da Ciência & Tecnologia
Fundação Getulio Vargas, São Paulo

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
Cadernos MARE
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

O direito ao respeito

Luiz Carlos Bresser-Pereira
Nota no facebook, 11.8.2018

A operação Lava Jato ficará na história do Brasil, não como uma linha divisória entre o Brasil corrupto e o Brasil honesto, mas como um marco de um grave ataque aos direitos civis dos brasileiros. Representou inicialmente um avanço ao investigar, acusar, e julgar pessoas obviamente corruptas, mas o capitalismo é intrinsecamente corrupto já que define como seu valor maior o dinheiro. Por isso a luta contra a corrupção é uma luta sem fim – uma luta que para ter efeitos duradouros precisa ser realizada de acordo com os princípios do direito.
Graças a seus êxitos iniciais, a operação alcançou amplo apoio da opinião pública, mas em seguida, sentindo-se fortalecida, passou a violentar os direitos civis dos cidadãos brasileiros, ao prender pessoas devido à simples suspeita de ter ela agido de forma desonesta, ao realizar buscas e apreensões nas casas dos suspeitos, ao fazer conduções coercitivas para depor, ao usar a possibilidade da delação premiada para chantageá-las a confirmar suas suspeitas de atos criminosos para terem o benefício da delação. Além disso, visou de maneira preferencial o ex-presidente Lula e o condenou à prisão sem qualquer prova, mas com um objetivo claro: lograr apoio das elites conservadoras brasileiras envolvidas no impeachment da ex-presidente, Dilma Rousseff.
O problema é que o exemplo de violência e arbitrariedade da Lava Jato vem sendo copiado pela polícia e pelo poder judiciário. O último e lamentável episódio desse tipo, neste caso no âmbito da operação Zelotes, teve como vítima o empresário e economista, Roberto Giannetti da Fonseca. De repente, devido a sua participação como consultor na emissão de uma portaria do Ministério do Comércio, Indústria e Desenvolvimento que beneficiou a Siderúrgica Parapanema, seu nome apareceu na imprensa como suspeito de corrupção e sua casa sofreu busca a apreensão. A Folha de S. Paulo publica hoje uma ampla e competente entrevista de Roberto Giannetti aos jornalistas Fábio Sandrini e Alexa Salomão na qual ele mostra que agiu como consultor em uma área que ele conhece muito bem – a do comércio exterior, especificamente, a dos drawbacks (recuperação de impostos que incidiram sobre os insumos quano o respectivo bem é exportado) –, e recebeu a remuneração contratada, 1,5% do benefício auferido pela Parapanema. Declara, ainda, que a portaria que foi emitida sobre drawbacks é tecnicamente correta. E termina sua entrevista com uma frase que nos deve levar a pensar: “Jamais imaginei que pudessem vir bater à minha porta e dizer ‘é a Polícia Federal, 6h, busca e apreensão em sua casa’. Para mim, isto é um choque, uma tempestade, pelos meus valores éticos e de minha família. O maior ativo que tenho aqui é confiança”.
Conheço bem Roberto Giannetti da Fonseca. Ele pertence a uma família de homens públicos da melhor qualidade. Quando fui ministro da Fazenda, ele me ajudou informalmente com grande generosidade e competência a encontrar uma solução para a dívida externa. Neste momento difícil para ele, porque vítima de difamação, manifesto minha solidariedade. Está sendo negado a ele o direito ao respeito, que é um direito civil fundamental.
  

 

 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br